por Dorotéo Fagundes

 Buenas pessoal, vamos homenagear as datas comemorativas e sociais expressas no Livro Agenda Gaúcha 2021, saudando os Dias: 15 do Professor; 16 da Ciência; 17 do Eletricista; 18 do Médico e do Estivador; 19 do Guarda Noturno; 20 da Comunidade e 21 do Contato Publicitário. Assim, agradecendo à Deus o privilégio de escrever e de ser lido, o invoco para dizer do DIA do PROFESSOR!

 Nossa vida sem os mestres seria o verdadeiro caos que existe nas trevas, e foi uma catarinense de Florianópolis, chamada Antonieta de Barros, nascida em 1901 a primeira mulher eleita de Santa Catarina e primeira deputada negra da história do Brasil, quem instituiu o Dia do Professor em 1948, sancionado nacionalmente em 1963 pelo então presidente Jango Goulart. Mesmo sendo pobre e negra, essa mulher enfrentou tudo e todos, estudando, escrevendo e ensinando, formando-se aos 17 anos, quando fundou o curso particular Antonieta de Barros, para combater o analfabetismo dos adultos carentes, pois sua crença era de que a única arma libertadora para combater a servidão, só com a educação, talvez por isso escreverá em 1837 o livro FARRAPOS de IDEAIS, como se fosse a reencarnação de uma Anita Negra.

 O talento e seriedade nos propósitos de vida dessa Professora, não só a levou lecionar nos colégios da elite catarinense, bem como ao êxito político e de jornalista, por competência, certa de que os professores são depois dos pais, os garantidores do ser pelo intelecto.

 Mas afinal de quem é a responsabilidade desse tema educar, da Família, do Colégio ou do Estado?

 Creio que trata-se de uma responsabilidade conjunta dos três entes citados,  porém em escalas diferentes, (no caso de um estado democrático por exemplo o Brasil), o educar vem primeiro à obrigação da família, pois foram os pais que geraram o filho e desde nascido tem o pátrio poder ou p moderno poder familiar, que decide tudo aquilo que diz respeito ao sustento em relação a crianças e adolescentes, da alimentação, saúde a educação ou seja, é no berço familiar que a criança aprende os primeiros passos em tudo, física e moralmente, do cuidado com a sua vida e com a dos outros, e na relação com o divino.

 No colégio a gurizada aprenderá sobre as ciências, aplicando o respeito ensinado em casa para com a instituição educacional, seus mestres e colegas, o que não impede à escola de avaliar o comportamento do indivíduo, repreendendo das más e premiando pelas boas atitudes do aluno, sempre reportando aos pais.

 A função do Estado na educação em geral se dá de forma erga omnes, que tem efeito para todos através de políticas educacionais que pensam no coletivo e não em casos individuais, (sendo como disse num Estado Democrático), porque ao contrário como ocorre nos países comunistas e socialistas, o Estado interfere diretamente na educação dos indivíduos, impondo-lhes seus conceitos ideológicos, sem a pluralidade cultural do livre pensar e agir, como bem queria e defendeu até a morte em 28 de março de 1952, nossa heroína negra da Ilha do Desterro.

 Para pensar: Família educa socialmente, Escola ensina culturalmente e Estado rege os dois, mas será pai e professor, quando o indivíduo não tem família e escola!