Por Silvia Inês do Amaral Alves

Uma gigantesca onda arremessa um carro na vidraça do Hotel Riviera onde Gabriel tomava café. Ele reconheceu a mão com um anel em forma de

serpente com olhos de esmeralda, que era usado no indicador da mão direita.

Era ela, Frau Frida, uma mulher que conhecera há muitos anos e cujo ofício era decifrar o destino das pessoas através de sonhos.

Assim, com a técnica chamada in medias res, que consiste em começar a história por uma ação do meio ou do fim da narrativa, Gabriel Garcia Marquez inicia o conto Alugo para Sonhar. Gabo, dono de uma escrita arrebatadora, consegue misturar fatos da vida chamada real, com nomes datas e lugares a mais profunda e prodigiosa ficção.

Nesse conto, em especial, refere-se a Neruda e suas bizarras manias e trejeitos, também a Jorge Luis Borges e a necessidade da narrativa, coisa que nos torna humanos. 2020 será lembrado como “o ano do Coronavírus…”, ou o ano que ficamos de castigo, ou o ano que que fiquei desempregado, ou o ano que descobri que sabia pintar, ou... ou... ou…Igual à surpresa da onda que atravessou a avenida e jogou o carro na vidraça, o vírus tirou-nos de nossas avenidas, fomos jogados pelas vidraças... todos nós, de todos os lugares. Frau Frida vivia daquilo que tinha de melhor, levar as pessoas ao universo onírico, puxava a grossa cortina do desconhecido.

Arrancava as raízes obsoletas da lógica e do senso comum. 2020 também será marcado pela solidariedade, pela assepsia, pela renovação, pelo arrojo, pelo empreendimento, pela prontidão... 2020 será o ano dos novos caminhos.

A Rádio e Televisão ATUALIDADE optou por colocar-se dessa forma nesse ano tão emblemático. Parabéns a todos nós que fizemos parte dessa história, seja falando, escrevendo, ouvindo, ligando, compartilhando, sucesso a todos.

Ofereço-me para sonhar com todos vocês, pois como disse Raul Seixas, um sonho que sonha junto é realidade!