Buenas amigos e como está no Livro Agenda Gaúcha 2021, (edição que traz a história das aves no folclore do Rio Grande do Sul, que trará na edição 2022 a História do Gado Vacum e do por que comemos carne), na página das datas profissionais e sociais, diz que: o dia 07 é da Saúde Ocular, do Oftalmologista e do Silêncio; dia 08 do Profissional de Marketing, da Cruz Vermelha e do Artista Plástico; dia 10 da Cavalaria, das Mães, da Cozinheira, do Guia de Turismo e das Vocações; dia 11 das Comunicações Sociais; dia 12 da Enfermagem, do Enfermeiro e do Engenheiro Militar; dia 13 das Estradas de Rodagem, da Fraternidade Brasileira, do Automóvel e do Zootecnista. Assim, agradecendo a Deus o privilégio de escrever informando a serviço do bem e de ser lido, o invoco à dizer sobre o DIA DA CAVALARIA.

A ciência nos ensina que o cavalo é parente do rinoceronte e da anta, surgiu não mais que 60 milhões de anos, na região da atual América do Norte, medindo 35 centímetros, atingindo o tamanho e forma que conhecemos atualmente, entre 6 a 2 milhões de anos. Foi na metade para o fim da última era glacial, por tanto há 50 mil anos que o cavalo saiu da América formando quatro espécies do gênero Eccus;  Robustus na EUROPA; Aggillis na África e Arábia; Tarpanus na Rússia e Przewalski na Ásia Central, dando origem as raças que conhecemos modernamente como cavalo, asnos e zebras, de nome científico de ecuus ferus cavallus.

O cavalo foi fundamental ao desenvolvimento da humanidade que o utilizou de todas as formas e concomitantemente como arma de guerra, dando origem a cavalaria dos povos antigos do Egito a Roma, da era medieval ao século XX, usada igualmente na primeira e inclusive na segunda guerra mundial. Historicamente a cavalaria que vem da palavra AKVA do sânscrito e quer dizer, (combater em vantagem de posição em cima de uma plataforma), no princípio empurrada pelo próprio homem, é a arma mais móvel dos exércitos e a segunda mais antiga, de grande vantagem em velocidade, altura e massa inercial de um homem acavalo, sobre um combatente a pé.

Modernamente a cavalaria no mundo agora é de carros blindados e helicópteros, havendo cavalos apenas para as cerimônias cívicas e ao policiamento urbano, sendo sido essa arma tradicional, muito importante no passado na conquista e defesa do território brasileiro e é pra nossa sorte, gaúcho um dos mais importantes cavalarianos do Brasil, de maior prestigio nacional e internacional, tanto que na bacia do Rio da Prata, sua simples assinatura era passaporte para qualquer viajante.

Simples, cultor do poncho e do chimarrão, honesto em sua alma quanto em seus atos, compartilhava sem vaidade da mesa de seus soldados e soube renunciar todo tipo de corruptela, teve uma vida de luta, glorias e brilhou até 1879, quando seu espírito no posto de Marechal, virou estrela na constelação do Cruzeiro do Sul, sendo logo de sua morte, justissimamente  elevado como patrono da arma ligeira do Exército Brasileiro, o Legendário Manoel Luís Osório, nascido em 10 de maio de 1808, por isso é esse o Dia da Cavalaria no Brasil, a quem nós bradamos: “Cavalaria, Cavalaria, Tu és na guerra nossa estrela guia!    

Para pensar: Como versejou Telmo de Lima Freitas, “E nessa marcha batida, esqueço o último pealo, por isso devo ao cavalo, por ter chegado até aqui!”